PRISÕES EM FLAGRANTE: OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL DE COMBATE AO FURTO DE ENERGIA ELÉTRICA ACONTECE EM TIMON

A Polícia Civil do Maranhão deflagrou, na primeira semana de fevereiro, em Timon/MA, a fase inicial da operação “Retorno à divisa” no combate ao furto de energia elétrica. As investigações já aconteciam há cerca de quatro meses. A ação foi comandada pela equipe do Departamento de Defesa de Serviços Delegados(DDSD), da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC/PCMA), em parceria com a Polícia Civil do Piauí.

No município, cerca de dez unidades consumidoras foram alvos da operação, que resultou em cinco Prisões em Flagrante. Na ação, também foi possível identificar o fraudador que vinha realizado a manipulação dos medidores de energia em Timon e Teresina. “Tínhamos notícias de um “gateiro”, um eletricista com conhecimento técnico em eletricidade e medidores de energia. Esses medidores digitais estavam sendo desbloqueados, retirados das unidades consumidoras e levados para um laboratório para serem manipulados. Das cinco pessoas presas, quatro confessaram quem tinha realizado a fraude”, destacou o Delegado Paulo Roberto que coordenou a operação.

Após descoberto, o autor dos crimes foi preso em flagrante na cidade de Teresina, onde mantem residência que também possuía medidor de energia manipulado. “A Policia Civil do Piauí, que também participou das diligências no Maranhão, localizou e prendeu o fraudador. Além das unidades que havíamos investigado em Timon, ele confessou dezenas de outras unidades que tiveram os medidores de energia manipulados”, afirmou o delegado.

As ações foram realizadas com o apoio da Equatorial Maranhão. Os proprietários das unidades consumidoras deverão responder por furto de energia elétrica, conforme prevê o artigo 155 do Código Penal Brasileiro. Ainda de acordo com o delegado, as investigações continuarão em datas ainda não definidas. “Para nós foi uma vitória e as diligências continuarão, já que temos a informação inicial de 150 novos locais que esse fraudador teria manipulado os medidores de energia”.

Para atender o universo de mais de 2 milhões de clientes em todo o Maranhão, a distribuidora de energia do Maranhão compra energia elétrica das Geradoras para levar até o consumidor, em todo o Estado. Do total arrecadado, cerca de 10% da energia é furtada, ocasionando perda de faturamento na ordem de R$ 340 milhões por ano, o que impacta no orçamento para promoção de ações de manutenção, operação, expansão e modernização do sistema elétrico e, além da arrecadação de impostos (ICMS e PIS/Cofins) que não foram pagos e poderiam ser revertidos para benefício da população.

O furto de energia também compromete a segurança da população e a qualidade da energia que chega nas residências maranhenses. Outro grave problema apontado pela Equatorial Maranhão são as ligações elétricas clandestinas realizadas em áreas de ocupação irregular, popularmente conhecidas por gambiarras. Nos locais em que existem altos índices de furto de energia, parte desse prejuízo acaba sendo revertido em aumento de tarifa, onde todos os clientes da concessão pagam pelo prejuízo causado por esse tipo de crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Valmir Arajúo