Desastres ligados à água ameaçam cada vez mais vidas e economia, alerta ONU

A REFERÊNCIA

Os desastres relacionados ao clima quase dobraram nas últimas duas décadas, em comparação ao mesmo período anterior. Quatro bilhões de pessoas foram afetadas, milhões morreram e as perdas econômicas chegam a US$ 3 trilhões. 

As mudanças climáticas alteram os padrões de chuva, afetam a disponibilidade de água, prolongam os períodos de seca e calor e aumentam a intensidade dos ciclones, que podem levar a inundações terríveis. 

Mas a situação ainda deve piorar até 2030, e as projeções sugerem um salto surpreendente de 50% nas necessidades humanitárias decorrentes de desastres relacionados ao clima. 

Redução das emissões 

Uma das formas de combater o problema é manter o aumento de temperaturas sob controle. “Os compromissos atuais são insuficientes, e as emissões [de CO2] continuam aumentando. As temperaturas médias globais já estão 1,2 ° C acima dos níveis pré-industriais”, disse Guterres. 

Emissão de carbono pode aumentar a temperatura média do planeta em mais de 2º C (Foto: Unplash)

A meta estabelecida no Acordo de Paris é manter o aumento de temperatura abaixo dos 2º C, através da redução de 45% nas emissões de CO2 até 2030, atingindo o “zero líquido” em 2050. “Mas estamos longe de cumprir essas metas”, disse o secretário-geral. 

Devido à falta de verba das nações mais afetadas pelas mudanças climáticas, as nações ricas precisam investir cerca de US$ 100 bilhões anualmente. “Investir em infraestrutura durável é um investimento no futuro”, disse o chefe da ONU. 

Valmir Arajúo