. .

COM 11 PRISÔES E 14 MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO, OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL FECHA O CERCO CONTRA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA EM SÃO LUIS

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira(1º), a Polícia Civil do Maranhão deflagrou uma megaoperação de combate ao crime de associação criminosa nos bairros da Ilhinha e São Francisco, em São Luís. Durante a operação que foi coordenada pelo Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO/SEIC) com apoio operacional de outras superintendências e departamentos da Polícia Civil, foram cumpridos mandados de prisões, além de mandados de busca e apreensão contra alvos investigados.

Os dados da operação foram apresentados durante uma coletiva de imprensa realizada na Delegacia Geral de Polícia Civil, em São Luís, que contou com as presenças do delegado-geral de Polícia Civil, Jair Paiva; o superintendente da SEIC, Augusto Barros e dos delegados do Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO), Tiago Dantas e Bruno Aguiar.

egundo o delegado Tiago Dantas, a operação policial foi programada após dois anos de minuciosas investigações que apurava a atuação de uma associação “facção” criminosa em que seus integrantes seriam autores de uma série de crimes executados na região do dois bairros, bem como em outras localidades da capital. Entre os crimes cometidos pelo grupo criminoso estão tráfico de drogas, roubos e homicídios.

Como resultado da operação, uma grande quantidade de drogas foi apreendida do tipo maconha, crack e ectasy, esse último entorpecente, chamou a atenção dos policiais devido a quantidade apreendida, mais de 500 comprimidos. Além disso, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, 11 mandados de prisão e três pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas. Na ação policial também foram apreendidas três armas de fogo e munições de vários calibres.

O delegado-geral, Jair Paiva, classificou a operação com bem sucedida, pois as prisões focaram exclusivamente nos líderes da organização de criminosa que atuava naquela região e que por esse motivo ação policial conseguiu desmontar a base do esquema criminoso.

Durante a operação policial, um dos investigados entrou em confronto direto com os policiais, sendo este alvejado, encaminhado ao hospital, porém não resistindo ao ferimento, vindo á óbito.

A megaestrutura policial contou com as participações de policiais civis de todas as superintendências (SEIC. SENARC, SPCC, SPCI, SECCOR E SHPP) e de departamentos especializados da PCMA, bem como do Núcleo de Operações com Cães (NOC), do Grupo de Resposta Rápida(GRT) e do Centro Tático Aéreo (CTA).

Deixe seu comentário

Hits: 89

VALMIR ARAÚJO