Morre ex-governador de Goiás

Iris Rezende morre após mais de três meses internado

Ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia, ele estava com pneumonia e havia sido intubado novamente em hospital de São Paulo. Dos seus 87 anos de vida, ele dedicou mais de 60 à vida pública.

Ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende morreu por volta da meia-noite e meia de terça-feira (9), em São Paulo (SP), após mais de três meses internado. Aos 87 anos, ele estava tentando se recuperar de um acidente vascular cerebral (AVC) que sofreu em agosto, na capital.

Segundo a assessoria do político, o corpo deve ser trazido para Goiânia e será velado no Palácio das Esmeraldas, a partir das 8h. O sepultamento será no cemitério Santana, também na capital, e está previsto para as 17h

O político passou as últimas semanas no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo (SP). Por meio de nota, a assessoria informou que, no último sábado (6), ele foi submetido a intubação para tratar uma forte infecção. Desde então, seu quadro piorou.

Mais de três meses internado

O político foi internado no dia 6 de agosto após sentir fortes dores de cabeça e, no mesmo dia, passou por um procedimento cirúrgico para conter uma hemorragia na cabeça. A equipe médica que o acompanha avaliou que a operação foi bem-sucedida. Depois disso, ele teve vários altos e baixos.

Relembre os primeiros momentos da internação de Iris Rezende:

  • 6 de agosto: cirurgia para conter um AVC, quando foi intubado pela primeira vez
  • 10 de agosto: passou a respirar espontaneamente e reconheceu as filhas.
  • 16 de agosto: Saiu da UTI e se recuperava em quarto.
  • 19 de agosto: indicava que ele tinha “boa evolução neurológica” até então.
  • 21 de agosto: o político teve uma convulsão e arritmia cardíaca e precisou voltar para UTI e ser intubado.
  • 31 de agosto: o boletim médico informou que ele havia voltado para UTI do Instituto Neurológico. A justificativa foi de que a unidade especial tinha médicos durante 24 horas e aparelhos que ajudariam a monitorar a pressão arterial do político. No mesmo dia, ele foi transferido para São Paulo, onde ficou internado até seu último dia de vida.
  • POR G1- GOIÁS
Deixe seu comentário
VALMIR ARAÚJO