POLÍCIA CIVIL DO MARANHÃO DEFLAGRA A 2ª FASE DA OPERAÇÃO OSTENTAÇÃO NOS ESTADOS DO MARANHÃO, TOCANTINS E GOIÁS

A Polícia Civil do Maranhão (PCMA) realizou, na manhã de hoje (16), às 06h, a 2ª fase da Operação Ostentação, para cumprimento de 58 Mandado de Prisão e 98 Mandado de Busca Apreensão, nos Estados do Maranhão, Goiás e Tocantins.

Foram mobilizados, em torno de 280 policiais civis do Maranhão, 70 Viaturas, que cumpriram 98 Mandados de Busca e 34 prisões, sendo 29 no Maranhão, uma em Tocantins e duas no estado de Goiás, além da apreensão de onze veículos e bloqueio de três milhões de reais em contas de suspeitos.

Os municípios que continham alvos: Imperatriz/MA, São Luís/MA, Coroatá/MA, Governador Nunes Freire/MA, Açailândia/MA, Carolina/MA, São Joao do Paraiso/MA, Cidelândia, Davinópolis, Paço do Lumiar, São Jose de Ribamar/MA, Davinóplis/MA, João Lisboa/MA, com apoio da Policia Civil de Goiás (PCGO), na cidade de Aparecida do Goiânia, e apoio da Policia Civil do Tocantins, nas cidades de Augustinópolis e São Bento.

Conforme o Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT/SEIC), a investigação está acontecendo desde fevereiro de 2020, quando ocorreu a 1ª Fase da Operação Ostentação, com a prisão de dez pessoas, nove em Imperatriz e uma em São Luís.

Na ação de hoje, a investigação também tinha como foco uma quadrilha de Hackers, a maioria em Imperatriz/MA, cujos membros causaram prejuízo ao Banco NUBANK, no valor de R$12.9994.503,82 (doze milhões, novecentos e noventa e quatro mil, quinhentos e três reais e oitenta centavos).

Conforme a denúncia, a vítima NUBANK teria recebido um número atípico de incidentes reportados como invasões de contas de seus clientes, entre os meses de outubro de 2019 e maio 2020, quando 918 contas de clientes seus teriam sido invadidas. Dessas invasões, 438 teriam acessos teriam ocorrido, ilegalmente, a partir da cidade de Imperatriz/MA.

Essa fase da Operação foi coordenada pelo Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT), que faz parte da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), com apoio Centro de Inteligência da Policia Civil (CIPC), da Delegacia Geral Adjunta Operacional (DGO/PCMA) que cuidou da logística e reuniu todo efetivo empregado na ação de hoje. Além da participação de todas superintendências que colaboraram com o efetivo e equipamentos empregados.

Valmir Arajúo