Brasileiros são destaques nos 100 m do GP Brasil Caixa de Atletismo

Os grandes destaques do GP Brasil de Atletismo realizado neste domingo (6), na pista do Centro Olímpico, foram as provas dos 100 metros rasos. As finais dos dois naipes foram vencidas por brasileiros. Vitória Rosa confirmou a boa fase e obteve o seu melhor resultado do ano com 11.30 (0.3). “Saí com a sensação que dá para melhorar mais ainda a marca no Troféu Brasil”, disse a atleta carioca, referindo-se ao principal torneio interclubes da América Latina, que será disputado de quinta-feira (10/12) a domingo (13/12), também no Centro Olímpico. “Estou olhando para frente para a Olimpíada de Tóquio e com maior foco nos 200 m, prova com eu mais me identifico”, concluiu a atleta que já está classificada para a Olimpíada. 
Entre os homens, o paulista Felipe Bardi dos Santos superou o favorito Paulo André de Oliveira, tricampeão do Troféu Brasil, e faturou a prova com 10.25 (-0.2). “Estou muito feliz por vencer o GP e principalmente a pandemia. Foi um ano muito complicado e é muito bom liderar o ranking brasileiro”, comentou Felipe, que chorou muito com a vitória. “Foi uma prova forte, com atletas de nível mundial. Me emocionei pela semana difícil que tive. Foi meu primeiro GP e estava muito nervoso.”
Paulo André, o melhor velocista do País, encarou o segundo lugar com naturalidade. “Estou no treino de base. Não é o momento de conseguir bom resultado. Fiquei feliz com a vitória do Bardi, mais um velocista importante”, comentou. “Agora vou focar no Troféu Brasil. Quero a quarta vitória consecutiva, mas com os pés no chão”, complementou.

OUTROS DESTAQUES

No arremesso do peso, Darlan Romani foi o campeão, com 20,91 m. O recordista sul-americano e quarto lugar no mundo de 2019, com 22,61 m, saiu aborrecido do Centro Olímpico. “Não era a marca que queria. Sei que posso ir melhor e espero conseguir isso no Troféu Brasil”.
No lançamento do disco, a paraibana Andressa Oliveira de Morais, recordista sul-americana, comemorou a participação no GP Brasil, depois de cumprir suspensão por doping. “Foi um período muito difícil, que tive de lidar com o emocional e as dificuldades da situação. Fiz musculação em casa. Não fiquei de treinar nenhum dia”, comentou Andressa, vice neste domingo, com 60,94 m. Fazia 15 meses que a atleta do Pinheiros não competia.
Atleta do salto triplo e do salto em distância, Alexsandro Melo deixou a pista do Centro Olímpico muito feliz. Com 7,86 m (1.6), ele faturou a prova do salto em distância. “Estou muito feliz por ter feito duas provas e sair sem sentir dores nas costas, o problema que tem me atrapalhado nas últimas semanas”, disse o atleta, qualificado para os Jogos se Tóquio. No salto triplo, ele ficou em segundo com a marca de 16 metros e 21 centímetros.
No salto triplo feminino, o pódio foi todo brasileiro. Gabriele Sousa dos Santos, com 14,10 m, Keila Costa, 13.84, e Nubia Soares, 13.92. “Estou feliz por voltar, o resultado não foi bom e quero mais no Troféu Brasil. Mas o bom é ter voltado”, disse Núbia Soares, que treina em Guadalajara, Espanha, com o cubano Ival Pedroso.
Jucilene Sales de Lima venceu a prova do lançamento do dardo com 60,89 m.
Nos 400 m com barreiras venceram os brasileiros Márcio Teles, com 50.60, e Bianca dos Santos, com 57.40. Nos 3.000 m com obstáculos os ganhadores foram Tatiane Raquel da Silva (Brasil), com 10min05seg03, e Geofrey Kipkemboi (Quênia), com 8min27seg58.
O GP reuniu 154 atletas de 17 países, incluindo o Brasil, em 21 provas – 11 no masculino e 10 no feminino.

Agência Brasil

Valmir Arajúo